Lembrei-me do blog

E assim reanimei o blog. E, para justificar a procrastinação relatada, vou mesmo escrever todos os dias.

Escrever é como desenhar: ou se pratica frequentemente, ou se deixa a ferrugem tomar conta da máquina. E se bem que o cartoon dos Quarenta! é um exercício diário para as duas actividades, de cada vez que tento escrever algo mais longo, demoro, hesito, recuo e, invariavelmente, invento qualquer coisa melhor para fazer.

Resuscitar o blog é assim uma espécie de regresso ao ginásio. Não se sabe quanto tempo vai durar, mas é melhor do que nada. Até as falsas partidas contam para alguma coisa. 3… 2… 1… Go!

Janeirite

Cá estou eu com a pica do ano novo, a achar que é desta que passo a escrever mais no blogue, entre todas as outras ilusões mascaradas de resoluções. Que vou perder peso e ser mais activa, que vou ser ser mais organizada, mais poupada, mais criativa, mais produtiva, enfim, que vou ser melhor pessoa por dentro e por fora. É desta que me vou transformar. 2015 é o ano mágico!2015

Ser possível, até é. Provável? Hummmm…

Mas deixem-me ser assim, que consigo fazer muita coisa nestes dias em que sou afectada pela Janeirite. Pode ser que dure uma semana, pode ser que dure um mês, pode até ser que algum bom hábito cole. Mais vale aproveitar, é melhor que nada.

 

 

 

Ainda aqui estou

A empresa de alojamento deste domínio enviou-me hoje um email a perguntar se o queria renovar. Claro que renovei, não consigo deitar coisas fora. Mesmo quando já não as uso há mais de ano e meio.

Passei o fim de semana em sérias arrumações aqui no atelier, que mais parecia uma daquelas casas de hoarders, dos que aparecem no TLC. Foi justamente a ver um desses episódios que percebi que tinha de fazer qualquer coisa com urgência, antes que os meus amigos e familiares precisassem de fazer uma intervenção.

Deitei fora infinita papelada, organizei quilos de tralha, remexi em caixas há séculos esquecidas. Incapaz de deitar fora coisas perfeitamente boas, anoto mentalmente onde ficaram de novo arrumadas e prometo-me que as vou voltar a usar. O uso justifica o espaço que ocupam. O uso desculpa-me a acumulação.

Hoje renovei este domínio, e cá estou eu a dar-lhe uso para que não seja em vão. Tenciono dar-lhe uma volta ao design, e soltar as palavras, ganhar ritmo, escrever, escrever, escrever. Que bem me faz escrever.

Ah, segundas-feiras! Tão bonitas e cheias de intenções!