Era uma vez um site

Volto sempre de férias com uma certa sensação de ano novo, de recomeço. Encho-me de resoluções como se fosse 1 de Janeiro, fazer dieta, voltar ao ginásio, cortar nos gastos, deitar fora a tralha a mais.

Curiosamente, sem que tivesse feito por isso, o primeiro dia de regresso foi mesmo um dia de reviravoltas, em que alguns planos foram engavetados e novos planos viram luz. E nesse espírito fénix de deitar tudo abaixo para começar tudo de novo, decidi que estava na hora de apagar todo o conteúdo do meu site patriciafurtado.net e recomeçar!

Não foi nada assim.

Estava eu a mexer nas bases de dados para recuperar um post neste blog, que tinha sido substituído — por engano — por um rascunho incompleto, quando vi uma base de dados que já não estava a ser usada e decidi apagá-la. Preciso de contar o resto da história, ou já se adivinha? Decidi apagar uma base de dados inútil e — por engano — apaguei a que estava por cima. A do meu site pincipal. Com todo o meu portfólio.

Já não é a primeira vez que destruo acidentalmente o meu site. Dessa vez foram os ficheiros que definem o design, o conteúdo ficara intacto. E tive a sorte de, passado uns dias de desespero, perceber onde tinha um backup e restaurar tudo devidamente. Desta vez, foi mesmo o conteúdo todo que se evaporou com um clique (dois cliques, se contarmos com aquela caixa de diálogo “tem a certeza?”, que aprovei sem pensar duas vezes). E o backup — que havia — não estava em condições, e não foi possível restaurá-lo. Coisa esperta.

No entanto, o infeliz acidente deu-se na altura certa. Estava mesmo um pouco farta do site, que me parecia já pesado e pouco inspirado. Em vez de ficar a arrancar cabelos e trepar às paredes, o meu estado de espírito continuou zen.

O site está em branco, e assim continuará até eu ter tempo de pensar em algo para ali. Sem pressas.

 

Leave a Reply