Itália, dia 5.3

Ravenna pareceu-nos desde o início uma cidade muito descontraída, talvez pela proximidade à costa. Gostámos que não estivesse cheia de turistas – em retrospectiva, agora que escrevo a partir de Florença, gostámos mesmo muito.

Demos uma volta pelo centro, sem grandes intenções de visitar monumentos ou ver algo específico, deambulando pelas ruas cheias de gente às compras, possivelmente acabadas de sair do trabalho, e muitas, muitas bicicletas. Percebemos que há um hábito muito enraizado de pedalar de um lado para o outro quando em cima das bicicletas não se vêm apenas jovens desportivos ou turistas.

Em Ravenna, jovens, adultos e idosos, casualmente vestidos ou bem aperaltados, com mais ou menos sacos e malas, todos os eles se cruzam à nossa frente e nos fazem razias e nos pregam sustos de morte, a ponto de nos sentirmos mais seguros nas ruas com carros do que nas áreas pedonais.

20110519-091146.jpg

20110519-091156.jpg

20110519-091203.jpg

20110519-091210.jpg

20110519-091217.jpg

20110519-091227.jpg

One Reply to “Itália, dia 5.3”

  1. As byke são o nosso futuro, vejam se inspiram e adeus ao cinquencento…
    A Cátia concorreu em 2006 ao festival de curtas aí em Ravena, o festival de “Ravena Nightmare film” como sou a sua agente lembro-me melhor que ela…ah!ah!
    Beijinhos á Telma and Louise e acreditem que em P….também têm alguns “Davides”

Leave a Reply