Oddity

highlands

E lá está. Vem o ano novo e fico logo com ganas de começar coisas novas. Não são bem resoluções, que essas começo sempre assim que me lembro delas, sem esperar pelo dia 1 de Janeiro, que é um péssimo dia para iniciar dietas, poupanças, arrumações, exercício, e coisas que tais.

Em 2010, um destes projectos vingou. Para o daily metro sketch, eu tirava fotografias clandestinas do passageiro de metro à minha frente no caminho para o estúdio, e depois desenhava-o à vista a partir da imagem. Era um exercício bastante demorado e, por isso, assim que o trabalho apertou, foi colocado em stand by.

Este ano vou simplificar as coisas. O meu exercício diário vai ser algo rápido e descomprometido, que já faço com alguma regularidade, mas que nunca viu a luz do dia.

Não sou grande fotógrafa, nem tenho pretensões de o ser, mas sou uma fotógrafa compulsiva. Para mim a fotografia é um modo de me relacionar visualmente com o que me rodeia, de contrariar a tendência que tenho para me alhear de tudo e de me obrigar a tomar atenção e não passar ao lado de coisas interessantes por causa da minha constante distracção.

Guardo todas as fotografias que tiro, boas ou más, e estão meticulosamente organizadas numa drive externa, sempre acessível. De cada vez que lá mergulho com a desculpa de procurar uma imagem específica para usar, acabo por me perder na nostalgia das imagens antigas. É uma espécie de diário, com viagens, festas, passeios, encontros, momentos, sítios, pessoas, muitas que já nem fazem parte da minha vida, ou que estão apenas diferentes.

Ocasionalmente, pego numa dessas imagens e brinco com ela no photoshop. Experimento filtros, mudo as tonalidades, a saturação, o contraste, sobreponho, desconstruo, escortanho, restauro, elimino. Posso estar horas com a mesma imagem, de resultado em resultado, sem nunca gravar ou usar a imagem final. É apenas um aquecimento, um exercício sem objectivo nenhum que não seja o explorar a minha  principal ferramenta de trabalho, o photoshop, ou eliminar um eventual bloqueio criativo.

redondo

A partir de hoje será assim: fazer do exercício um workout diário rápido e começar a coleccionar e mostrar o resultado num tumblr. Sem pretensões artísticas, sem grandes conceitos ou reflexões por trás das imagens, sem classificações ou temas. Apenas fotografias escolhidas da minha caixinha digital, isoladas ou combinadas, muito ou pouco editadas, só porque sim, porque me apetece, porque me deu para ali. No fundo é pegar num diário e transformá-lo num outro.

trees

A visitar e seguir em thestarslookverydifferent.tumblr.com

 

Leave a Reply